Comunicação

Jovem Pan investe em plataforma de conteúdo

Panflix vai integrar conteúdo em vídeo, rádio e produções exclusivos e está Previsto para ser lançado ainda em junho.


Ao completar 75 anos, a Jovem Pan se prepara para uma nova etapa em sua escalada digital. O grupo vai estrear a Panflix, uma plataforma de conteúdo pensada para integrar a programação da rádio, seja em áudio ou vídeo, e atrações exclusivas. Antônio Augusto Amaral de Carvalho Filho, o Tutinha, presidente do Grupo Jovem Pan, explica que o YouTube foi parceiro da emissora na construção da plataforma - a Jovem Pan já conta com cerca de 15 milhões de inscritos na soma dos canais.

Na primeira etapa, o aplicativo virá embarcado em TVs da Samsung, além de devices Apple e Android. O plano é disponibilizar para todas as smart TVs num segundo momento. A partir de análise de metadados, a tecnologia da plataforma vai permitir que o usuário encontre seus programas favoritos, baseado em seu histórico de visualizações.

Tutinha reconhece que deve focar nos pontos fortes da emissora: "O nosso core business, o que a gente sabe fazer bem é jornalismo e esporte". Mas, além desse conteúdo, a plataforma deve contar com o lançamento de pelo menos nove produtos que vêm sendo testados. Segundo o executivo, a emissora investe em segmentação para expandir seu alcance e está montando grupos com profissionais de dentro e fora da Jovem Pan para desenvolver projetos para a plataforma. Um dos colaboradores é o comediante Maurício Meirelles, contratado para elaborar produtos na área de humor e stand up.

Em termos de publicidade, a Jovem Pan deverá ter pré e made-roll disponibilizados pelo YouTube e avalia a possibilidade de adotar o modelo de assinatura, no futuro. Segundo Tutinha, a Jovem Pan aumentou seus custos em 30% e investiu cerca de R$ 20 milhões na construção de novos estúdios, compra de equipamentos e modificação de processos para viabilizar a Panflix.

Roberto Araújo, CEO da Jovem Pan, conta que a principal mudança da emissora desde que começou a produzir conteúdo em vídeo para a internet, em 2016, foi a consolidação da opinião como um dos pilares da emissora. "No meio digital, isso gera um baita engajamento, pois notícia é commodity. Mas entregando opinião de várias formas diferentes você acrescenta contexto para aquela informação", diz Roberto. Segundo números internos, vídeos com opinião têm 69% mais audiência que os conteúdos de hard news pura.

A emissora também pretende aproveitar o conteúdo produzido por suas afiliadas para investir no segmento de local news. O grupo vai promover a transformação digital e de vídeo das parceiras para que elas se tornem publicadoras da Jovem Pan. Essa proposta estará presente no aplicativo por meio de geolocalização, indicando as notícias mais próximas ao usuário.

Neto de Paulo Machado de Carvalho, um dos fundadores da Record, Tutinha relembra seu passado na televisão para pensar o futuro da emissora. "Desde pequenininho, eu vivi na TV que era do meu avô. Talvez nós estejamos fazendo uma coisa que está no nosso DNA", afirmou.

Comments

SEE ALSO ...