Tecnologia

BNDES terá moeda digital própria

Para controlar seus empréstimos o BNDES está criando sua moeda digital baseada em tecnologia blockchain


BNDES terá moeda digital própria - Baguete

Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) anunciou a criação da primeira moeda digital oficial do Brasil. Prevista para começar a circular em maio desse ano, a moeda que ainda não tem nome servirá para rastrear o pagamento de fornecedores em projetos que sejam apoiados pelo BNDES. O projeto foi desenvolvido junto ao banco alemão KfW, que seria a equivalente ao BNDES em seu país. O projeto tem sido chamado de TruBudget por seus desenvolvedores.

A Blockchain funciona de forma que toda nova transição sirva para reforçar a criptografia das outras, assim tornando-se impossível alterar os registros. A tecnologia que é usada para bitcoin, torna segura as transações entre anônimos. Já para o BNDES, será utilizada para acompanhar o seu dinheiro após a saída de seus cofres. Pois cada novo repasse da transação será registrado nas "carteiras virtuais" do TruBudget.

A ideia do BNDES é primeiramente usar da nova tecnologia no projeto Fundo Amazônia, que é gerido pelo próprio banco. O fundo que foi lançado no ano de 2017, tem como foco atividades sustentáveis na Amazônia e apoia até dez projetos de conservação com aportes de 150 milhões de reais.

O banco alemão, parceiro do BNDES nessa nova empreitada, foi listado no ano de 2015 pela revista Global Finance como o banco mais seguro do mundo. Nenhum banco brasileiro foi citado na lista da revista e apenas um banco em toda a América Latina apareceu na 48º colocação.

O BNDES com empréstimos concedidos a partir de moedas virtuais, atreladas ao valor do real, vai conseguir acompanhar o dinheiro. E apesar de ser o primeiro banco brasileiro a utilizar tal tecnologia, parece não ser o único interessado. Bancos como o Itaú e Bradesco veem pesquisando sobre aplicações práticas de blockchain.

Comentários

VEJA TAMBÉM...